Expedição à Aldeia Mayrowi da Etnia Apiaká

ONG Verde vai levar energia solar para Escola Mayrowi Apiaká

Projeto Apiaká
Neste 1º de agosto de 2018, a equipe da ONG Verde seguirá com a expedição “Aldeia Mayrowi - Etnia Apiaká 2018” para a divisa dos estados do Mato Grosso e Pará. 

Com autorização para entrar na reserva, a expedição vai instalar projeto de energia solar na escola da Aldeia Mayrowi.

Desde 2012, quando a ONG Verde participou da Cúpula dos Povos - Rio+20, mantêm contato com o integrante da aldeia, Darlisson Peixoto Apiaká, liderança da Aldeia Mayrowi à época (na imagem, à direita de André Picardi, coordenador de Projetos Socioambientais com Energias Limpas e Renováveis da ONG Verde), e recebeu a solicitação de levar a energia solar para atender algumas necessidades daquela comunidade.

Aldeia usa diesel e tem acesso limitado à energia elétrica

ONG Verde vai levar energias limpas para Tribo Apiaká
Darlisson conta que tem acesso limitado à energia elétrica. A aldeia usa gerador a diesel durante apenas três horas por dia. Agora, com a energia elétrica solar, terão eletricidade 24 horas por dia e para utilizar na escola, uma área comum da aldeia.

Diversas tentativas foram feitas ao longo desses anos no sentido de viabilizar a realização do projeto, sem sucesso! Pois, equivocadamente, algumas empresas alegaram a falta de apelo e visibilidade comercial para o patrocínio em uma aldeia indígena, além da distância dos principais eixos comerciais do Brasil.

Hoje, a ONG Verde com apoio da Pousada Canastra, localizada em São Roque de Minas/MG, vai levar e instalar energia solar na escola da Aldeia Mayrowi. A Pousada Canastra disponibilizou recursos para comprar equipamentos e acessórios: placas fotovoltaicas, baterias, controlador de carga, lâmpadas de LED, dentre outros.


São mais de cinco mil kms, ida e volta, entre asfalto, terra e via fluvial

ONG Verde vai levar energia solar para escola da Tribo Apiaká

A aldeia está localizada às margens do Rio Teles Pires. O trajeto percorrido será do distrito de São Sebastião dos Cabrestos, Vargem Bonita/MG, sede da ONG Verde e ponto de partida da expedição, até Alta Floresta/MT. Dali seguirá para Porto do Meio/PA e por via fluvial até a aldeia.

O total percorrido, ida e volta, será de cinco mil quilômetros de estradas e cerca de 600 quilômetros pelos rios da região, em barcos de corredeiras e sempre acompanhados de lideranças da Aldeia Mayrowi.

Atividades lúdicas e oficinas sobre energias renováveis e lixo, com utilização do R´s, fazem parte do roteiro socioambiental.

Confira cartilha preparada pela ONG Verde

Porque levar Energia Solar para a Aldeia Mayrowi?

ONG Verde vai levar energia solar para escola da Tribo Apiaká
Darlisson, ao fazer contato com a ONG Verde e solicitar a instalação de energia solar na aldeia, pensava nas necessidades básicas da comunidade: ligar luz, computadores e internet na escola à noite.

Ele dizia que a aldeia precisava incorporar essa tecnologia de forma definitiva, sem alterar a identidade Apiaká. Ao contrário, com o uso da energia solar seria possível ajudar a resgatar e a preservar diversos elementos com registros digitais da história e da memória do povo Apiaká, além de mais acesso à informação e contatos com outros grupos de mesmos propósitos e lutas.

A equipe ONG Verde é ciente de que há controvérsias sobre o uso da tecnologia, seus limites e a privacidade, mas entende que cabe à população indígena refletir e fazer as suas escolhas.


ONG Verde vai levar energia solar para escola da Tribo Apiaká