CO2 é fundamental à vida, mas em equilíbrio

Contra o superaquecimento do planeta Terra devemos agir JUNTOS!

Por diversas vezes você já ouviu falar em efeito estufa e, equivocadamente, pode ter acreditado que faz mal ao planeta Terra e que é preciso acabar com ele. Calma! Não é bem assim que acontece. Vamos entender o que é o efeito estufa.

O planeta Terra, desde o início da sua existência, possui temperaturas equilibradas para permitir a presença de vida em seus diferentes solos e em suas águas. Esse equilíbrio, ao longo da sua existência, permite que diversas espécies habitem a Terra com longa permanência, ainda que em transformação, como é o caso dos seres humanos e de outras espécies que se extinguiram, caso dos dinossauros.

Pois bem, o efeito estufa é esse mecanismo natural que mantêm a temperatura da Terra aquecida dentro dos limites necessários à existência de vida no planeta, com seus ajustes naturais.
Bom, estamos falando de um planeta que possui ocorrências naturais e que pode, volta e meia, apresentar aquecimentos ou resfriamentos naturais. Pensar assim é compreender o planeta Terra como algo vivo e em constante processo de transformação. 

Tudo nesse planeta cria e recria vida. É dinâmico em sua existência e, por isso mesmo, sempre deixa mais perguntas do que respostas sobre a sua criação.

Mas, habitam neste planeta os seres humanos que, desde os primeiros registros de sua existência, seja pela teoria evolucionista ou criacionista, já somam bilhões de anos que estão por aqui e, de lá para cá, ocorreram inúmeras transformações internas e externas a esses seres.
Mas, como as transformações possuem vínculos com o conhecimento, o que os seres humanos vem fazendo ao longo de sua existência no planeta Terra é criar e recriar meios e modos de viver.

Estes seres e outras espécies vivem na Terra porque o planeta possui uma proteção “natural” para manter-se aquecido. 

O planeta recebe os raios solares e uma parte desses raios ultrapassa essa proteção, alcança a superfície da terra, se transforma em calor e retorna para a atmosfera. Outra parte não penetra na proteção e volta para o espaço.

Essa proteção é a Estufa, ou o Efeito Estufa. Uma enorme estufa que mantém o planeta aquecido. Vejam os desenhos.
Sabemos, por exemplo, que o Planeta Marte não possui esta proteção e por isso apresenta temperaturas que variam acima de 200º de dia e abaixo de 100º negativos durante a noite, condições impróprias para a existência de espécies como as que vivem no planeta Terra.

Percebemos que o efeito estufa é importante para proteger a vida na Terra. 

Contudo, o que nos parece é que esta proteção está ameaçada, pois diversas ações humanas no planeta aumentaram as emissões de gases do efeito estufa, causando um desequilíbrio na temperatura do planeta. 


Desequilíbrio é responsável pelo aquecimento global

Sim, não há dúvidas de que o planeta está ficando mais quente. Há dúvidas ou teses divergentes quanto as causas desse aquecimento. 

Alguns acreditam que o aquecimento faz parte de um processo natural do planeta e outros atribuem às ações humanas a responsabilidade por esse superaquecimento.

O fato é que, independentemente das causas, não dá para ficar sentado esperando para ver o que acontecerá. Principalmente, quando percebemos que algumas ações podem melhorar a qualidade do nosso ar, da nossa água e das nossas florestas – e da vida humana  no futuro breve!
Imagine que estamos dentro de uma grande estufa de vidro fechada e além da incidência de raios solares, estamos produzindo diariamente fumaça das indústrias, dos veículos, das queimadas, além das construções que utilizam cimento a um ritmo frenético.

Enfim, muita fumaça e muito produto químico no ar. Ou seja, os raios solares são apenas uma parte dessa história. 

Tudo o que fazemos aqui no planeta produz algum tipo de impacto ao meio ambiente e a presença em excesso de gases na atmosfera que contribuem para o aquecimento global é um exemplo disso.
Existem dois principais gases que contribuem para o aquecimento global:

- dióxido de carbono ou gás carbônico (CO2): é produzido pelo uso dos combustíveis fósseis (petróleo, carvão e gás natural); encontrado nos combustíveis e nos plásticos, por exemplo;

- gás metano (CH4): é produzido pela decomposição da matéria orgânica. Encontrado nos reservatórios de hidrelétricas, nos aterros sanitários, lixões e grande quantidade na criação do gado

Embora o CO2 seja o maior responsável pelo aquecimento global, exatamente por estar presente nas nossas fontes energéticas, o gás metano é o mais perigoso para o efeito estufa. 
O excesso desses gases no ar faz com que ocorra um desequilíbrio na temperatura da Terra, elevando o aquecimento do planeta a um patamar que provoca alterações climáticas, como o excesso das chuvas ou a seca, ocasionando escassez de alimentos, aumento do número de erupções vulcânicas, derretimento de geleiras, tempestades, furacões, a elevação do nível médio dos oceanos, ondas de calor e para nós, humanos, problemas de saúde relacionados as vias respiratórias e processos inflamatórios, dentre outros.
Além de produzir esses gases, estamos retirando a cobertura verde que protege o planeta. 

Todas as vezes que desmatamos as florestas e as queimamos, estamos liberando mais quantidade de gás pela queima da madeira ou pela derrubada de árvores que são responsáveis pela eliminação do CO2 no planeta. 

Sem falar na contaminação das águas pelas indústrias, por adubos químicos das lavouras e por detritos humanos...

Embora esse desmatamento se junte a uma série de ações que prejudicam o nosso meio ambiente, outro aspecto importante para ser pensado é que grande parte dos gases produzidos que colaboram com o aquecimento global está nas cidades.
Ou seja, nos grandes centros urbanos e que teve o seu começo no período da revolução industrial, quando estudos apontam que a temperatura da Terra começou a subir significativamente.

Portanto, devemos começar a mudar nossos hábitos, nossos modos de vida nas cidades, nos centros urbanos que produzem grande parte dos serviços e dos materiais necessários ao nosso viver.

Podemos propor várias ações para que cada um de nós comece a fazer em casa, no trabalho ou na escola, a partir da ideia de que “se cada um fizer a sua parte o mundo pode melhorar”.

Mas, queremos propor uma reflexão e uma ação maior.  Agir em coletividade!

Você não deixa de agir, mas é preciso que se junte a tantos outros quanto for possível para criar leis que assegurem o meio ambiente favorável à vida nas cidades e nos campos.

Algumas mudanças de hábitos relacionadas ao lixo, ao transporte, à água e à energia elétrica contribuem para reduzir a emissão de gases poluentes e responsáveis pelo aquecimento global. 

Essas mudanças devem começar localmente nos bairros, distritos e municípios, junto aos prefeitos e vereadores. 

Podemos agir coletivamente para que juntos tenhamos a força necessária para fazer valer os interesses coletivos e transformar as cidades em espaços democráticos e possíveis de convivência.

As causas do aquecimento global podem ser debatidas durante muitos anos, mas as ações que favorecem o equilíbrio das forças da Natureza com a vida no planeta deveriam ter sido iniciadas e implementadas ONTEM!

Lixo: ações e contribuições

Ações que NÓS devemos fazer

Exigir das prefeituras e dos vereadores a aprovação de leis para:
- instalar aterros sanitários com certificação para substituir os lixões;
- implantar a coleta seletiva do lixo para o município;
- instalar postos públicos para receber óleo de cozinha, pilhas e baterias;

VOCÊ deve fazer

- Planeje e anote as suas compras para adquirir só o que realmente precisa;
- Use a sacola no mercado e dispense os sacos plásticos;
- Prefira os produtos biodegradáveis;
- Evite embalagens desnecessárias ou de difícil reciclagem;
- Se puder e se for o caso, use produtos com refil;
- Evite desperdício de papel, use ou imprima os dois lados da folha, utilize folhas já impressas para rascunho;
- Ao menos uma vez por ano separe as roupas, objetos domésticos, móveis e brinquedos para doações ou reciclagem;
- Evite consumir objetos de plástico, pois são produzidos a partir do petróleo e contaminam o meio ambiente;
- Separe o lixo em casa: papel, plástico, metal, vidro e lixo orgânico. Coloque-os na lixeira ou entregue para a coleta seletiva;
- Não jogue óleo na pia, separe-o em latas e entregue em postos que você deve procurar na sua cidade;
- Descarte separadamente pilhas, baterias e objetos eletroeletrônicos, levando aos postos de recebimento em sua cidade.

Comentários

O lixo é sempre um problema público e de saúde. Seja qual for a forma de tratamento desse lixo, haverá sempre impacto negativo ao meio ambiente. 

Portanto, é preciso mudar nossos hábitos de consumo para  produzir menos resíduos. Comprar apenas o que é necessário e desconstruir a ideia de acompanhar o que o mercado, por meio da mídia, determina para nossas vidas.

O lixo contamina o solo, o ar e as águas, por isso é obrigação do município implantar, dentre outras medidas, a coleta seletiva que evita a degradação do solo e reduz a quantidade de dejetos despejados nos aterros, sendo esses encaminhados para usinas de compostagem.

Transporte Público: ações e contribuições

Ações que NÓS devemos fazer
 
Exigir dos prefeitos e dos vereadores leis para garantir:
- transporte público com transparência nas contas, qualidade, segurança, preço justo e gratuidade para idosos e estudantes;
- abastecer os veículos oficiais da prefeitura e das casas legislativas com combustíveis de fontes limpas ou menos poluentes.

 VOCÊ deve fazer

- Evite usar carro em situações desnecessárias;
- Andar a pé ou de bicicleta fazem bem à saúde e ao meio ambiente.
 
 Comentários

O dióxido de carbono (CO2) é o maior responsável pelo aquecimento global e é produzido pelo uso dos combustíveis fósseis (petróleo, carvão e gás natural). Os veículos à gasolina são responsáveis por produzir milhões de toneladas de CO2 e a queima de combustível está relacionada ao sistema de transporte. 

Além de reduzir o número de veículos circulando pelas cidades, o desafio está em repensar o transporte público, que diferentemente da saúde e da educação, de público e coletivo não tem nada.

Por isso, é preciso debater com a sociedade sobre as necessidades de um transporte com qualidade, segurança e democrático, acessível a todas as camadas sociais.

Água: ações e contribuições

Ações que NÓS devemos fazer
 
Exigir dos prefeitos e dos vereadores leis para
- Criar sistemas de reutilização da água nas escolas públicas (banheiros e lavação);
- Incluir nos planos diretores das cidades medidas mitigadoras e de controle das áreas urbanas e rurais, onde ainda existem nascentes e glebas de matas naturais;
- Estabelecer metas para reduzir a impermeabilização dos solos nas cidades que impedem a recarga dos lençóis freáticos;
- Promover o consumo consciente por meio da informação e do uso de outras fontes de energia elétrica que não utilizem a água, a exemplo da energia solar, eólica e biogás.

 VOCÊ deve fazer

- Reutilize a água;
- Não jogue na pia: óleo, restos de produtos tóxicos como tinta, pois contaminam os lençóis freáticos;
- Prefira produtos de limpeza que não degradem o meio ambiente;
- Dê preferência aos produtos biodegradáveis;
- Use com mais freqüência a água e o sabão para a maioria da limpeza doméstica;
- Verifique se existem vazamentos na sua casa;
- Evite comprar alimentos embalados em plástico ou isopor (pois exigem muita água na sua fabricação);
- Use a água com bom senso.

 Comentário

A água é um recurso abundante e ocupa quase 70% da superfície da Terra. No entanto, menos de 3% corresponde à água doce e apenas 1 % é potável, ou seja, própria para o consumo humano. 

Apesar da abundância, os recursos hídricos não são inesgotáveis e por diversos motivos a água pode acabar. 

Mas, mesmo antes que isto aconteça, o acesso à água já não é igual para todos. A geografia de cada região, as mudanças de vazão dos rios, o aquecimento global e as decisões políticas equivocadas afetam a distribuição da água.

Energia Elétrica: ações e contribuições

Ações que NÓS devemos fazer
 
Exigir do prefeitos e dos vereadores leis para:

- Investir em outras fontes de energias limpas e renováveis que utilizam o biogás, o sol e o vento para garantir o abastecimento elétrico das instituições públicas;
- Estimular a produção de equipamentos eletrodomésticos/eletrônicos de 12/24 volts para incentivar o uso da energia eólica e solar, preservando a capacidade hídrica dos nossos rios;
- Promover o consumo consciente por meio da informação e do uso de outras fontes de energia elétrica que não utilizem a água, a exemplo da energia solar, eólica e biogás.

 VOCÊ deve fazer

- Ao sair de um cômodo, apague a luz;
- Pinte as paredes internas e os tetos da casa com cores claras;
- Aproveite ao máximo a luz do dia;
- Coloque mesas de trabalho próximas às janelas;
- Use máquina de lavar roupa e ferro de passar quando houver bastante roupa para realizar o trabalho de uma única vez;
- Evite deixar aparelhos eletrônicos em stand-by, nesse modo há consumo de energia;
- confira a borracha de vedação da geladeira e evite o aumento de consumo de energia;
- Se for possível, instale aquecedor solar para água quente nos chuveiros;
- Se puder, use lâmpadas de LED que são mais econômicas e de maior durabilidade; 
- Prefira aparelhos elétricos com menor consumo de energia;
- No trabalho, ao final do expediente, desligue os aparelhos da tomada;
- Reutilize papéis usados para rascunho;

 Comentários

Diversos estudos revelam que as hidrelétricas, responsáveis por cerca de 80% do abastecimento de energia elétrica no Brasil, emitem CO2.

Vários fatores levam as hidrelétricas a emitir GEE (Gases do Efeito Estufa) em grande quantidade. Os reservatórios (lagos) que são construídos junto às hidrelétricas cobrem grandes áreas de florestas. 

Matéria orgânica que favorece a ação de bactérias anaeróbicas, que produzirão altas taxas de CH4 e CO2, os dois principais GEE. Há também, nas áreas inundadas, o deslocamento de populações e impactos na fauna e flora local. 

É preciso repensar o modelo energético brasileiro, diversificando e incorporando outras fontes limpas e renováveis de energias: a solar, a eólica e o biogás.

Árvores: ações e contribuições

Ações que NÓS devemos fazer
 
Exigir dos prefeitos e vereadores leis para:
- proteger e ampliar o número de árvores nos bairros e nas áreas das indústrias;
- fiscalização diária e manutenção das árvores existentes nos parques e vias públicas;
- estabelecer número de árvores para cada metro construído de edifícios; 

VOCÊ deve fazer

- Veja se existe associação de moradores no seu bairro ou regionais administrativas ou mesmo faça contato com a prefeitura para fornecer mudas ou plantar árvores no seu bairro;
- observe e fique atento às mudanças nas árvores próximas à sua casa, havendo necessidade de poda, risco à rede elétrica ou outro problema, acione órgãos públicos (defesa civil) para tomar as providências necessárias;
- Ao sinal de corte ou poda ilegal de árvores avise as autoridades para providências;
- Ao passar por árvores que precisam de água, adubo, escoras, proteção ou outros cuidados, não hesite, aja.

Comentários

Para reduzir a emissão dos GEE é preciso mudança nos meios e modos de vida dos cidadãos. A ideia de plantar árvores e florestas inteiras para compensar a emissão dos GEE (gases de efeito estufa), principalmente o dióxido de carbono (CO2), atrai muitas empresas e grandes negócios. 

Afinal, a compensação significa continuar produzindo os gases que contribuem para o superaquecimento da terra e plantar árvores, supondo que essas vão conseguir equilibrar e seqüestrar o carbono presente na atmosfera.

Fácil esta receita, porém é preciso considerar que embora as árvores auxiliem na purificação e umidade do ar, pois agem como sequestradoras de CO2 e devolvem oxigênio para a atmosfera, é muito ingênuo crer que elas possam agir na mesma proporção e velocidade em relação a quantidade de GEE que estamos emitindo na atmosfera. 

A velocidade com a qual usamos e produzimos os combustíveis fósseis (gasolina, carvão e gás natural) em veículos que crescem assustadoramente o número no mundo inteiro, não se compara com a capacidade que as árvores possuem para retirar carbono da atmosfera. É injusto atribuir somente às árvores esta tarefa tão difícil.

Precisamos, sim, plantar muitas árvores para usar delas, além da capacidade de sequestrar o carbono, de reduzir o calor nas cidades, preservar e proteger as nascentes, os rios e pequenos cursos de água, usufruir da sombra nos dias quentes e da inegável  beleza que oferecem ao ambiente.

Carros: entenda o efeito da emissão de CO2 numa grande cidade

O vídeo apresenta de forma criativa informações sobre a emissão de carbono na atmosfera. 

O gás carbônico é transformado em esferas de dez metros de diâmetro, cada uma contendo uma tonelada.

* Imagens meramente ilustrativas extraídas através de pesquisas no Google Imagens